Elvas sempre em primeiro

Todos os comentários que cheguem sem IP não serão publicados.
Sexta-feira, 30 de Abril de 2010

De volta ao Forte da Graça

Costuma-se dizer em bom português que, “empata” é aquele que nem monta nem deixa montar e que segundo parece, é o que é o Ministério da Defesa.

Como penso que muitos saberão, há uns anos aqui atrás, foi feito um protocolo para a recuperação do Forte da Graça. Se bem me lembro e corrijam-me se estiver enganado, as entidades envolvidas eram o Ministério da Defesa (dono do prédio militar), o Ministério da Cultura, a Câmara Municipal de Elvas e penso que mais outra entidade qualquer que não recordo.

Segundo julgo saber, a obra estaria projectada por fases, cabendo a primeira à CME e que dizia respeito ao restauro das coberturas. Segundo julgo também saber, a CME cumpriu a sua parte. O problema surgiu quando teve que arrancar a segunda fase e que pertencia ao MD. Aí, paradoxalmente tudo se complicou porque quem tinha o processo entre mãos não deu andamento a ele, e digo paradoxalmente, porque o dito senhor, não sendo de Elvas, toda a sua família aqui pertence. Nunca consegui entender o porquê da “birra”. O que é certo é que o barco encalhou nas mãos desse “senhor militar”.

O Ministério da Defesa por duas vezes tentou vender o forte como se de uma habitação se tratasse, pouco se importando que a “casinha” fosse um Monumento Nacional de grande importância. Sobre potenciais interessados, muitos boatos correram em Elvas. Houve que o quisesse transformar em Casino, em Hotel, em Museu, etc, etc. Penso que na verdade não passaram mesmo de boatos.

Até que chegámos aos dias de hoje e a situação mantém-se: o forte ao abandono e o proprietário a comportar-se como muitos senhorios que há por aí sem dinheiro para fazer as obras. Na época atrás descrita, o restauro do forte andaria pala casa dos 5 milhões de contos (qualquer coisa como 25 milhões de euros). Claro que hoje os preços não serão estes.

O Ministério da Defesa está teso que nem um carapau. Por vezes nem dinheiro tem para os combustíveis quanto mais ir empatar verbas tão grandes em algo que não lhes serve para nada. Sendo que isto é a realidade, não resta mais nenhuma alternativa senão forçar o MD a entregar o forte à Câmara Municipal.

Haverá neste momento algumas pessoas a pensar que seria um disparate gastar verbas tão elevadas no restauro do velho forte. Se é certo que a Câmara Municipal teria que desembolsar uma parte do capital, há programas comunitários que pagariam a maior fatia. Julgo que esta será a solução que a câmara tem pensada.

Mudemos por instantes o rumo da conversa.

Está visto e mais que visto que a solução para o desenvolvimento de Elvas passa inexoravelmente pelo Turismo. É a única jóia que nós temos na nossa terra e que é vendável: o nosso Património. Não me venham com ideias de fábricas de cervejas, call-centers ou outra coisa qualquer. Poderia ser uma solução para o curto prazo, mas nunca traria o desenvolvimento sustentado pretendido, já que a mão-de-obra necessária para tais empreendimentos seria quase toda desqualificada.

Voltemos então novamente ao forte.

Não será esta “peça” a mais valiosa ou das mais valiosas que temos? Não será esta “peça” a que atrairia mais turistas culturais (que são os que têm dinheiro e tempo)? Então a recuperação do forte como é que seria contabilizada: como despesa ou como investimento? Penso que todos estaremos de acordo quanto a isto.

Como o povo diz, “Avancemos por Talavera sem medos”!

 

Jacinto César

 

 

PS – Isto já vai grande hoje, mas não resisto à tentação em mais uma vez manifestar a minha vergonha com algumas coisas que acontecem em Portugal.

Um idoso de 78 anos de idade, deixou caducar a carta de condução. Foi apanhado a conduzir. Entretanto devido à sua doença foi internado num lar de terceira idade. O nosso grande criminoso vai a julgamento e é condenado a pagar 400 Euros de multa. A reforma do bandido não deu para pagar a multa. Assim sendo, o Juiz tomou a atitude corajosa que se pedia numa circunstância desta gravidade e como tal mandou prender o malandro. Está neste momento a cumprir a pena de 3 meses de prisão.

Desculpem, mas tenho que ir a correr a vomitar … ….         

     


Tasca das amoreiras às 00:00
Link do post | Comentar | favorito
11 comentários:
De Anónimo a 30 de Abril de 2010 às 11:22

 


O OUTRO EMPLASTRO


O nosso País conhece o Emplastro, aquela figura ímpar que, na sede de protagonismo e à falta de poder ser convidado, impõe a sua presença nos segundos planos e nos entra em casa através da televisão.


Se este é o Emplastro nacional, Elvas tem “o outro Emplastro”, com os mesmos contornos do original, ou seja “aquela figura ímpar que, na sede de protagonismo e à falta de poder ser convidado, impõe a sua presença nos segundos planos”.


Vai às reuniões de câmara e assiste de fio a pavio, coisa a que nem os seus companheiros de travessia de deserto resistem. Mas ele é resistente; como um camelo, perdido no deserto sem atinar com o próximo oásis.


Na reunião da câmara desta semana, encontrou situações de “partir o coco a rir”… e lá descreve, à sua maneira de emplastro, aquilo que os protagonistas fizeram.


Com duas falhas: esqueceu-se de uma situação “de partir o coco a rir” e não listou o que lhe fez ficar com azia.


A situação “de partir o coco a rir” foi que o vereador goleado por 6-1 no último jogo para presidente da câmara quis fazer crer que, na Assembleia Municipal de dia 7 deste mês, Tiago Abreu não estava no desempenho das suas funções de deputado municipal, quando insultou a vereadora Elsa Grilo. “De partir o coco a rir”, pois Abreu estava no seu lugar, no uso da palavra, por isso autorizado para tal pelo presidente da assembleia, com o microfone ligado e o som a ouvir-se na sala e a ser gravado!


As situações que deixaram o outro Emplastro com azia foram pelo menos quatro: a câmara decidiu a requalificação da entrada no centro histórico pelo viaduto numa obra de um milhão de euros, o programa da Semana da Juventude foi elaborado pelos jovens e aprovado pela câmara, o bairro da Boa-Fé vai ter um centro de convívio e o comboio turístico com circuitos regulares.


Tal como o Emplastro original, o outro Emplastro é visto frequentemente atrás de jornalistas. Mas esta malta não liga, nem ao que diz nem ao que faz, por se tratar de uma figura ímpar que, na sede de protagonismo e à falta de poder ser convidado, impõe a sua presença nos segundos planos.


 



De Anónimo a 30 de Abril de 2010 às 11:27

 


“Dura lex, sed lex”, diziam os romanos


(“A lei é dura, porém é lei”, pode ser a tradução para português)


Será que os romanos estavam enganados?...


 



De A RETRETE DO PORTINHOLAS a 30 de Abril de 2010 às 14:40
Um certo cromo do CDS escreveu no seu blogue RETRETE as maiores BACORICES sobre a reunião da Câmara Municipal.

O que vale é que toda a gente já conhece a peça e sabe do que ele é capaz. Basta lembrar a história de um tal "Justiceiro dos Arcos" que mandava mensagen com ameaças a Eurico Candeias... e depois teve que pedir perdão ao mano para não ir para o sitio onde merecia passar férias.


De Anónimo a 30 de Abril de 2010 às 14:44
É a desacreditação final de quem as pessoas não acreditam


De JB a 30 de Abril de 2010 às 16:29
Senhor Professor Jacinto César:
Como V.ª Ex.ª não concorda com a minha ideia de Hotel de Turismo de Aventura para o Forte da Graça, gostava de lhe propor outra ideia.
Como V.ª Ex.ª aqui referiu, Elvas não tem capacidade de resposta da indústria hoteleira para fazer face ao enorme fluxo de turistas que se aproxima. 
Assim, eferia o Senhor Presidente Rondão Almeida que para o Forte da Graça tinha uma solução que passaria ou por uma unidade museológica ou por uma unidade hoteleira, ora eu como sou um homem de ideias - sem ser idiota, claro - vinha propor-lhe a solução "2 em 1" de acordo com a sábia voz do Senhor Presidente.
Vinha então propor um Hotel Museológico ou   um Museu Hoteleiro temático para receber turistas. 
Deveria então o interior do Forte ser decorado com os equipamentos de uma prisão militar de meados do século XX(traça original como V.ª Ex.ª defende) o que lhe daria características de Museu.
Por outro lado os hóspedes do hotel bem como o pessoal deviam obrigatoriamente estar fardados de militar ou recluso.
Podia até haver uma sala de jogo, em que os perdedores deveriam subir a água do dia seguinte às costas para o Forte ou satisfazer até os desejos sexuais dos ganhadores, tudo num ambiente temático de reclusão.
Lamentavelmente a imprensa internacional não tem dado à equipa da Sr.ª Dr.ª Elsa Grilo a importância que devia. Um hotel/museu com estas características colocaria Elvas no lugar que Elvas merece! 
Um abraço, Senhor Professor.


De JB a 30 de Abril de 2010 às 16:32
"Assim, eferia", a intenção era escrever "Assim, referia".


De Egas a 30 de Abril de 2010 às 23:45
Este JB é panascas ou anda a estudar?


De Anónimo a 30 de Abril de 2010 às 22:56
TDV pior que TGV

Sou céptico do TGV, nesta conjuntura económica, mas não contra. Terá vantagens para Elvas, mais na perspectiva da linha de mercadorias versus plataforma. Mas receio que como fez a BRISA que retirou a iluminação de Elvas até ao Caia porque havia poucos pópós, alguem venha tirar os comboios porque há pouco movimento e fiquemos só com os carris.
Mas o TDV é que não me convence.~
Dali nada. Veja-se:
O T: Tadinho. Nem de porrada é farto. Não aprende. Continua mentiroso, manipulador, zero. Nem com o " abraço " do mano aprendeu. O D: Desastre. Diz-me zero. O V: Ressabiado começa por R porque quando foi batizado não havia acordo ortográfico. Se fosse hoje escrever-se-ia vessabiado ou vieissabiado ou assim. Parado no tempo há 20 anos, radical, quer ser politico, vai com todos. Como as ...

Vamos longe vamos.

 


De Anónimo a 30 de Abril de 2010 às 23:25

MAIS UMA DESILUSÃO PARA A CAMBADA DA MÁ LINGUA!!! O GOVERNO DIZ QUE O TGV É P´RA MANTER! pobres e infelizes MUDinhos! já tinham o champanhe no frigorifico... vão ter que esperar e engolir em seco,  mais uma vez!


De Anónimo a 1 de Maio de 2010 às 00:23
Deve ser por isso que o vieira vai para  as reunioes de camara a mascar pastilha ao lado do emplastro. nervosismo oblige
.


De Anónimo a 1 de Maio de 2010 às 01:19
Nem o Sr acredita no que escreve. Investigue e verá que mesmo assim mas ao contrário.


Comentar post

Últimos copos

Forte da Graça - 18

Forte da Graça - 17

Forte da Graça - 16

Forte da Graça - 15

Forte da Graça - 14

Forte da Graça - 13

Forte da Graça - 12

Forte da Graça - 11

Forte da Graça - 10

Forte da Graça - 9

Adega

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Agosto 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


A procurar na adega

 

Blogs de Elvas

Tags

todas as tags

últ. comentários

Nest baluarte existio uma oficina de artesanato on...
JacintoSó agora tive oportunidade de lhe vir dizer...
VERGONHA? MAS ESSAS DUAS ALMAS PERDIDAS RONDÃO E E...
Uma cartita. Uma cartinha. Uma carta.Assim anda en...
Os piores lambe-botas são os partidos de Esquerda ...
O mundo está para os corruptos e caloteiros. Uma a...
O mundo é dos caloteiros . Uma autentica vergonha.
"Não se pode aceitar que um professor dê 20 erros ...
penso k será pior dizer k ñ tem pais!ou k ñ sabe k...

mais comentados

101 comentários
89 comentários
86 comentários

subscrever feeds

SAPO Blogs