Elvas sempre em primeiro

Todos os comentários que cheguem sem IP não serão publicados.
Terça-feira, 4 de Novembro de 2008

Apontamentos

1 – O primeiro é para saudar os dois novos Blogs generalistas elvenses. Trata-se do Elvas Cidade Viva em http://www.elvascidadeviva.blogspot.com/ e o Elvas Melhor em http://elvasmelhor.blogspot.com/. Os votos que fazemos são que mantenham a verticalidade e a independência possível. A tarefa não é fácil e nem sempre isenta de consequências. Boa sorte.

 

2 – Refiro-me agora a mais um acontecimento que esvazia um pouco mais a nossa cidade. Falo do encerramento GAT. Este acontecimento faz parte de um conjunto de factos que me dão razão quando CULPO a capital de distrito do esvaziamento progressivo de Elvas. Quanto a este assunto dedicaremos um artigo num futuro próximo.

 

3 – Foi com muito espanto que os 2 anteriores posts não causaram reacção dos comentaristas “habituais”. Calaram-se. No entanto o convite e desafio que aqui fiz, mantém-se no ar. Estão convidados todos os “más-línguas” para assistirem a uma (o mais) aula minha. Basta manifestarem essa intenção e dizerem quando. As minhas aulas começam às 13h45m e depois recomeçam às 20 horas.

 

4 – Para não dizerem que sou faccioso felicito daqui todos os sportinguistas  pela vitória de hoje para a Liga dos Campeões.

 

Jacinto César

 


Tasca das amoreiras às 22:12
Link do post | Comentar | Ver comentários (34) | favorito
Segunda-feira, 3 de Novembro de 2008

Ainda o Ranking

 

Ontem o meu colega Jacinto Cesar deixou aqui um texto onde, com exemplos, procurou deixar claro como é elaborado o ranking das escolas, e os diversos factores que o afectam.
Pelos comentários aqui surgidos parece haver pessoas que só olham para os números, sem procurar compreender um pouco do que está por trás.
Hoje volto, ainda que indirectamente, ao assunto para deixar aqui alguns números e situações reais.
 
Uma determinada turma da Escola Secundária D. Sancho II tem dez Professores e vinte e cinco Alunos.
 
1-  Até ao final do mês de Outubro (falamos de um mês e meio de aulas) os Professores, no seu todo têm averbadas 2 (duas) faltas, o que para o ranking de faltas dos Professores daria uma média de 0,2 (dois décimos) faltas por Professor é claro que as faltas em causa são de apenas dois Professores, tendo os restantes 8 (oito), 0  (zero) faltas mas são coisas das médias para o ranking.
 
2 – No mesmo período os 25 (vinte e cinco) Alunos tiveram 1497 (mil quatrocentas e noventa e sete faltas) o que para o ranking de faltas dos Alunos daria uma média de 59,88 (cinquenta e nove unidades  oitenta e oito centésimas) faltas por Aluno. É certo que nessa turma está um Aluno que tem apenas 1 (uma) falta e um outro que tem 129 (cento e vinte e nove) mas mais uma vez são coisas das médias para o ranking.
 
3 – Foram convocados 8 (oito) Encarregados de Educação, dos Alunos com maior  números de faltas, para lhes comunicar a situação escolar dos seus educandos, e para acertar estratégias para melhorar a assiduidade dos alunos, factor indispensável a uma boa aprendizagem, não compareceu nenhum.
 
4- Um Aluno, pediu transferência par esta turma já no decurso do ano lectivo, por não gostar da área curricular onde se encontrava. Passadas três semanas e algumas falta veio um dia à Escola com o respectivo Encarregado de Educação para informar que ia deixar de estudar. Um dos Professores da turma, tentando demovê-lo dessa decisão e demonstrar-lhe a necessidade de continuar a sua formação, perguntou em determinado momento o que iria ele fazer depois de abandonar a Escola, qual era o seu projecto de vida. Perante o silêncio do Aluno, o Encarregado de Educação respondeu:
“- Vai tirar a carta de moto!”
 
São estes os Professores, os Alunos e os Encarregados de Educação que fazem a posição no Ranking da nossa Escola.
Cada um que tire as suas conclusões.
 
 
António Venâncio
 

Tasca das amoreiras às 20:00
Link do post | Comentar | Ver comentários (12) | favorito
Domingo, 2 de Novembro de 2008

O Ranking das Escolas

Desde que saiu a notícia no DN, não param os apelos para que explique aqui o que se passa em Elvas para estar numa posição tão baixa. Vou tentar explicar com um exemplo, como se forma o dito ranking e depois cada um fará o seu julgamento.

 

Vamos então a isto e tomemos como referência a disciplina mais crítica que é a Matemática:

 

Escola 1 – que pode bem ser a Esc. Sec. de Campo Maior – imaginemos que se apresentaram a exame nacional 20 alunos e que houve 4 que tiveram nota negativa. Na prática houve 20 % de reprovações. Como nesta localidade normalmente não há alunos externos, podemos afirmar que todos os 20 alunos estavam matriculados na escola.

 

Escola 2 – que pode ser a Esc. Sec. de Elvas – ao mesmo exame apresentaram-se 150 alunos e houve nas pautas 45 alunos reprovados o que representa 30 % de reprovações. Dos 150, 30 eram alunos externos (alunos que abandonaram o ensino há uns anos e que voltaram para fazer o exame, alunos das escolas profissionais e alunos de colégios particulares).

 

Escola 3 – escola da cidade de Setúbal (não menciono o nome). Ao referido exame compareceram 400 alunos, 200 dos quais reprovaram. Ou seja houve 50 % de reprovações.

 

Escola 4 – Colégio particular de Lisboa ou Porto – fizeram o exame 200 alunos e ninguém reprovou.

 

Perante os números apresentados, o ranking à disciplina de Matemática ficou assim ordenado:

1º - Colégio partícula (de Lisboa ou Porto) – 0 % de reprovações

2º - Escola Sec. de Campo Maior – 20 % de reprovações

3º - Escola Sec. de Elvas – 30 % de reprovações

4º - Escola Sec. de Setúbal – 50 % de reprovações.

 

Ora bem, perante os números não há dúvidas absolutamente nenhumas. É só ler!

 

Mas será que as coisas serão assim tão lineares? NÃO e NÃO!

 

Analisemos então os números de uma maneira mais profunda e com outros olhos.

 

1 – O Colégio de Lisboa ou Porto – Quem é que frequenta o referido colégio? De certeza que não são os filhos do cidadão comum e muito menos os filhos das famílias problemáticas. São alunos oriundos das classes média alta e alta que têm recursos para frequentar esse colégio. São filhos de famílias estruturadas, que lhes podem dar um acompanhamento relativamente bom e se for preciso ainda têm professores pagos à hora para os acompanharem ainda melhor. Mais, haverá mesmo assim alguns alunos que mesmo que provenham das classes altas e estejam “desalinhados” com a maioria. Esses, a meio do ano são convidados a sair para uma escola pública. Ora bem, os que vão a exame oferecem garantias absolutas de sucesso. Se houver algum “chumbo” foi mesmo por azar.

 

2 – Escola Secundária de Campo Maior – Quem frequenta a escola? São os filhos de pessoas normalíssimas e que vivem num meio pequeno e em que toda a gente conhece toda a gente, incluindo os professores. Neste tipo de escolas, a proximidade da escola, professores e famílias é muito grande o que favorece a situação. È obvio que a percentagem dos chumbos será normal e para os quais podem ter contribuído o próprio aluno, a família deste e o professor que não soube ou não pode ou “não quis” resolver estas situações.

 

3 – Escola Secundária em Elvas – Escola típica de uma pequena/média cidade onde impera a heterogeneidade, ou seja, onde há de tudo um pouco: filhos de famílias estruturadas, de famílias que de família só têm o nome, de classes sociais e culturais muito diferentes, etc. Se por um lado a cidade é relativamente pequena para colher alguns benefícios, por outro lado é já suficientemente grande para ter alguns vícios próprios destas cidades. Além disso a escola recebe alunos para os exames nacionais (os ditos externos) que nunca ali estiveram, mas que tem que arcar com a responsabilidade das classificações que tiverem.

 

4 – Escola Secundária em Setúbal – Analisemos a caso desta escola que aparentemente é a última do ranking nacional. Quem são os alunos desta escola? Quem são as famílias dos alunos desta escola? Qual a classe social e económica das famílias dos alunos desta escola? Como é sabido de todos as escolas do distrito de Setúbal são as mais problemáticas do país. Em todos os aspectos! As notas reflectem isso mesmo. Mas ainda assim conseguiram ter 50 % de aprovações.

 

Analisemos agora em conjunto a melhor e a pior escola. Pergunto eu agora? Será que são mesmo a melhor e a pior escola? Os números assim o dizem. Mas será que estes reflectem realidades iguais?

Para mim, a melhor, ou seja o Colégio de Lisboa ou do Porto, não fazem nada do outro mundo. Limitam-se a trabalhar com um material humano bom e dar continuidade ao trabalho feito no interior das famílias. Aqui, qualquer professor “é bom”. Pudera!

E se pegarmos nos professores destes colégios e os levássemos para a escola que ficou em último lugar? Que aconteceria?

Acredito que na Escola de Setúbal se farão autênticos milagres para que, com o material humano com que têm que trabalhar, mesmo assim ainda consigam ter 50 % aprovações. No entanto é irremediavelmente a ÚLTIMA.

 

Caros leitores, pensem um bocadinho no que vos acabei de contar e depois digam-me se há justiça no ranking das escolas. Será que o referido ranking reflecte a verdadeira realidade dos factos?

 

Jacinto César

 

PS – Caro Zéquinha.

 

Não lhe vou responder mais a qualquer comentário, mas vou-lhe fazer um convite. Eu sou professor como deve saber. Sou daqueles que vai ser avaliado. Mas a si em particular ou a mais algum que queira, estão convidados desde já a assistir às minhas aulas. Às que quiserem e quando quiserem. Quem se disponibiliza para isto, não tem medo. Apareça que será bem-vindo. Tenha coragem  de dar a cara e apareça.

 


Tasca das amoreiras às 00:02
Link do post | Comentar | Ver comentários (29) | favorito
Sábado, 1 de Novembro de 2008

ELVAS

Apareceram por aí há muitos anos uns celtas que resolveram instalarem-se lá para os lados do castelo. Não fizeram grande coisa e acabaram por ser “chutados” fora por uns malucos romanos que pensaram ter aqui encontrado o Éden. Além de uma espécie de castelo e umas quantas quintas de luxo onde vinham passar férias, pouco mais fizeram (?). Bem, também é verdade que não tiveram muito tempo para fazer mais, pois apareceram por aí uns mal encarados mouros que os mandaram passear até Roma. Estes de verdade vinham cheios de vontade de trabalhar e foi o que resolveram fazer. Fizeram crescer e desenvolver a terra que à força ocuparam. E assim foi durante cerca de 500 anos. Os cristãos do norte como não gostavam dos vizinhos do sul, resolveram espanta-los ainda mais para sul. Ocuparam o lugarzinho a que finalmente deram o nome de Elvas e trataram de fazê-la crescer, até que D. Manuel resolveu fazê-la CIDADE. E como cresceu desde então. Chegou a ser a quinta cidade do reino.

Passaram-se os anos, a monarquia deu lugar à república, a democracia deu lugar à ditadura e Elvas continuou a crescer e a desenvolver-se. Atingiu o seu auge pelos anos 60 do século passado.

Caiu a ditadura e regressou a democracia com o 25A.

Quando aparentemente estavam reunidas todas as condições para continuarmos a crescer, eis que demos um grande trambolhão.

Por aqui têm passado governos municipais socialistas, comunistas e sociais-democratas. Todos têm prometido tudo, mas o desenvolvimento continua a ser uma miragem. Os elvenses vão vendo os anos passarem sempre na esperança que finalmente a cidade dê o salto definitivo, mas nada.

Quem nestes últimos tempos se tem mantido a par dos acontecimentos locais fica com a sensação que há em Elvas grupos que de “tanto gostarem dela” lhe arrancam os olhos. Ficamos baralhados com a confusão instalada.

Mas será que alguém acredita que Rondão de Almeida, Tiago Abreu ou o José Júlio Cabaceira entre outros não querem o melhor para a sua cidade? Eu acredito que não, mas no entanto é o que parece, pois aos olhos de cada um, os outros são a desgraça total.

A guerra entre eles é uma constante e trava-se todos os dias e a propósito de tudo, ou seja, todos os motivos são bons para de digladiarem.

Gostava para terminar deixar aqui uma pergunta para todos estes “senhores da guerra”: por acaso estão preocupados com o cidadão comum, com o bem-estar geral, com o desenvolvimento da cidade e seu crescimento? Ou será que estão demasiado ocupados em saber como trepar ao poder ou como não o perder?

O cidadão comum é assim que pensa. Ouçam-nos.

Bom fim de semana!

 

Jacinto César


Tasca das amoreiras às 00:00
Link do post | Comentar | Ver comentários (7) | favorito

Últimos copos

Forte da Graça - 18

Forte da Graça - 17

Forte da Graça - 16

Forte da Graça - 15

Forte da Graça - 14

Forte da Graça - 13

Forte da Graça - 12

Forte da Graça - 11

Forte da Graça - 10

Forte da Graça - 9

Adega

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Agosto 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


A procurar na adega

 

Blogs de Elvas

Tags

todas as tags

últ. comentários

Nest baluarte existio uma oficina de artesanato on...
JacintoSó agora tive oportunidade de lhe vir dizer...
VERGONHA? MAS ESSAS DUAS ALMAS PERDIDAS RONDÃO E E...
Uma cartita. Uma cartinha. Uma carta.Assim anda en...
Os piores lambe-botas são os partidos de Esquerda ...
O mundo está para os corruptos e caloteiros. Uma a...
O mundo é dos caloteiros . Uma autentica vergonha.
"Não se pode aceitar que um professor dê 20 erros ...
penso k será pior dizer k ñ tem pais!ou k ñ sabe k...

mais comentados

101 comentários
89 comentários
86 comentários

subscrever feeds

SAPO Blogs