Elvas sempre em primeiro

Todos os comentários que cheguem sem IP não serão publicados.
Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2007

Cabelos de ouro

Ao longo da minha vida já vi muita coisa, mas por vezes ainda fico espantado com alguns acontecimentos. Entre o mais absurdo que vi, entre outras coisas, foi um leilão no e-bay em que foi arrematado por $100 o “NADA”. Mas hoje ainda me espantou mais ao ser leiloado por 33.600€ uma madeixa de cabelos presumivelmente pertencentes a John Lennon. Como não podia de deixar de ser o feito deu-se em Inglaterra (onde mais poderia acontecer?). Sendo que a base de licitação era de 4.200€, será lícito pensar que havia muita gente disposta a dar dinheiro pelos cabelos. Com tanta gente e principalmente crianças a morrer de fome em todo o mundo, não seria mais lógico aqueles a quem o dinheiro pesa muito no bolso oferecerem-no a quem mais necessita? Fica a pergunta para reflexão e para todos aqueles que até o “nada” compram!

Jacinto César


Tasca das amoreiras às 01:32
Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 11 de Dezembro de 2007

ASAE

Sou eu que estou louco ou então alguém me está a deixar louco.

É visível por todos nós que a higiene em todos os lugares públicos melhorou consideravelmente nestes últimos anos. Basta ir a um qualquer café, loja ou supermercado para o verificar. Até há uns anos atrás era impensável recorrer a uma casa de banho que não fosse a minha. A falta de limpeza, a falta de “papel”, de sabão e outras coisas mais eram por demais evidentes. As cozinhas dos restaurantes eram muitas vezes de higiene muito duvidosa. Os produtos que se vendiam avulso em qualquer loja tinham origens e qualidade de fazer pensar duas vezes antes de os adquirir. Reconheço que muita coisa mudou positivamente em Portugal nestes últimos tempos. E se tal aconteceu deve-se em parte à actuação da ASAE. Tudo bem.

O que está a acontecer agora é que já é demais. A ASAE tornou-se numa polícia mediática e pelos vistos gostam de se ver. Daí ao abuso vai um passo.

Então não é que estes senhores querem acabar com as chávenas de café tradicionais em favor dos copos de plástico? Estão a ver a cena, não estão? Entra-se no nosso café ou pastelaria habituais, pede-se o tradicional café e em resposta e a bem da higiene toma lá um café em copo de plástico. E no verão? Queres uma “imperial”? Toma lá uma cerveja em copo de plástico. Queres um pastel de nata? Então leva lá este embalado! Mas aonde chegámos nós? Será que passámos de “porcos” a maníacos da higiene? Ou será que outros interesses se escondem por detrás de tais medidas? Num qualquer dia destes estaremos a comer num restaurante do mais fino em finos pratos de plástico e os talheres serão a condizer. Se calhar sou eu que de verdade estou a ficar louco!

Para todos aqueles que não concordam com a medida assinem a petição.

http://www.petitiononline.com/naoasae/petition.html

Jacinto César    

Tags:

Tasca das amoreiras às 00:26
Link do post | Comentar | Ver comentários (5) | favorito
Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2007

A minha embirração de estimação

Dear Mr. Gordon Brown

Desculpe estar-lhe a escrever na língua de Camões, mas o meu inglês é tão mau como o seu português.

Poderá pensar que tenho um embirração especial por si e pelo seu governo, mas lá que o senhor não se anda a portar bem lá isso é uma verdade e eu Zé português não gosto.

Há uns tempos atrás deixou impune um labregóte (e outras coisas mais) que andou a dizer mal do meu país a propósito do caso Maddie. Jamais o senhor iria pedir desculpas pelo facto a “uns reles e porcos comedores de sardinhas”. Que afronta!

Este fim de semana recusou-se vir a Portugal e à cimeira UA-UE com a desculpa de estar presente outro labrego e seu inimigo de estimação e de seu nome Mugabe. Sei que é sempre mais agradável estar acompanhado pelo rei ou algum príncipe da democrata Arábia Saudita. Tiranos, mas com mais dinheiro. Mas enfim: inimigos sempre são inimigos.

 Agora, já fez saber que não pode estar presente na assinatura do Tratado Europeu porque tem um debate no parlamento.

Não é por nada, mas o senhor e ao contrário do seu antecessor não gosta mesmo nada do meu país, pois não? Eu julgo que não! E quer saber de uma coisa? Eu também não gosto nada dos ingleses (que me desculpem os bons). A vossa arrogância já cheira mal!

Passe bem!

Jacinto César


Tasca das amoreiras às 22:17
Link do post | Comentar | favorito
Domingo, 9 de Dezembro de 2007

África minha - 1

Nota introdutória – Aquilo que vou escrever, escrevo-o com conhecimento de causa pois por felicidade minha conheço um bom par de países africanos, todos os países africanos da baia do Mediterrâneo e alguns do Médio Oriente.

Quando pequeno o meu Pai contava-me uma história que não sei se é verdade, e que se calhar alguém também já a ouviu, mas vou contá-la na mesma.

Havia numa localidade um merceeiro que era gago e com quem muita gente se metia devido à sua deficiência. Havia também alguém que diariamente e durante anos fazia gala em azucrinar a cabeça do infeliz homem. Um belo dia o protagonista resolveu acabar com aquela afronta diária e esperou o provocador com um pau. Para azar dos dois, a pausada foi demasiadamente forte: o provocador morreu e o merceeiro foi para a cadeia. No dia do julgamento e já na sala do tribunal, o juiz perguntou-lhe o que tinha acontecido. O pobre homem, a única coisa que conseguia dizer e a gaguejar era: Meeerrriiiiiitttísssssimmmmoooo juuuuuiiiiizzzzz …   Meeerrriiiiiitttísssssimmmmoooo juuuuuiiiiizzzzz. O nervoso não o deixava dizer mais. E repetiu uma dúzia de vezes a mesma lengalenga. O juiz já farto da conversa disse ao réu que falasse de uma vez, porque não tinha o dia inteiro. O nosso homem como não conseguia articular uma só palavra, resolveu escrever. Dizia assim o escrito que passou ao juiz: “ Senhor Juiz, se o senhor já está farto de me ouvir ao fim de poucos minutos, como estaria eu ao ouvir as mesmas ofensas durante anos?”

Perguntar-se-ão o que tem esta história a ver com África? Tudo!

Há um bom par de anos atrás, tive a oportunidade de ir à Rodésia (actual Zimbabué). País fantástico já nessa altura! Anos mais tarde, o regime de Iam Smith caiu e subiu ao poder o actual presidente Robert Mugabe. Presumo pelo que leio e ouço que o país deu um grande trambolhão desde então. A causa próxima terá sido a nacionalização das terras aos súbditos de Sua Majestade. Os naturais não conseguiram dar continuidade ao trabalho feito e temos um país a morrer de fome. Como seria de prever não vou aqui defender o tirano Mugabe nem os seus métodos de governo. Mas alguém é capaz de imaginar a que se devia a prosperidade da Rodésia nos tempos do Sr. Smith? À semi-escravatura em que a população vivia. Isso mesmo, escravatura. EU VI!

Tal como na primeira história, o protagonista fartou-se! Só se enganaram na pessoa que os conduziu à liberdade. Talvez tenha sido pior a emenda que o soneto, mas libertaram-se!

Às vezes dou comigo a pensar: até que ponto o cidadão comum (como eu), não é manipulado pela (des)informação? Acredito cegamente que o homem não será flor que se cheire! E os antigos fazendeiros dos quais não se fala? Será que eram assim tão boas pessoas?

Que faríamos nós se outros nos roubassem sistematicamente a casa? Algum dia reagiríamos. Quanto aos métodos …

Continuarei a escrever sobre a minha África.

Jacinto César

Tags:

Tasca das amoreiras às 01:28
Link do post | Comentar | favorito
Quinta-feira, 6 de Dezembro de 2007

Formação profissional

Ontem casualmente ouvi as notícias da Antena 1 quando me deslocava de carro e ouvi o Sr. Procurador-geral da República dizer algo que me deixou preocupado. Dizia ele que a criminalidade em Portugal tinha diminuído em quantidade, mas que tinha aumentado em qualidade e isto a propósito do atentado à bomba contra um “senhor da noite” em Lisboa.

É pá, então não querem lá ver que são os bandidos a aproveitar os dinheiros do Fundo Social Europeu para fazer formação profissional? Será que as organizações dos criminosos ao “contratar” os seus profissionais lhe proporcionam a formação necessária, com estágio incluído, para desenvolver melhor o “seu trabalho”?

Se até agora andava relativamente tranquilo em todo o lado esperando que o pior que me poderia acontecer era ficar sem o telemóvel, já que não ando com muito dinheiro no bolso, a partir de agora tenho que passar a andar com mais cuidado não vá o diabo tecê-las.

Num país em que a produtividade do trabalho é baixa (bom tema para daqui a uns dias) serem os “bandidos” a terem o melhor desempenho é no mínimo caricato, apesar de todos sabermos ser uma actividade muito mais lucrativa que o TRABALHO! Estes, já só faltam ter organizações sindicais e patronais a defendê-los e segurança social para quando a actividade não correr a feição, coisa não muito difícil de acontecer, pois estamos todos a ficar na penúria porque o “ganster mor” nos continua a assaltar todos os dias. Atenção criminosos, o ministro anda atrás de vocês. Não, não é o da justiça, é o das finanças.

Jacinto César


Tasca das amoreiras às 19:11
Link do post | Comentar | Ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 5 de Dezembro de 2007

A Elvas política e os políticos de Elvas

Cada povo tem o que merece como se costuma dizer. Mais ou menos o mesmo se pode aplicar à nossa cidade e seus políticos. Temos o que merecemos. Temos os políticos que merecemos, ou seja, de uma qualidade muito duvidosa a todos os níveis. E isto aplica-se a TODOS: os do poder e os da oposição! É muito triste ver-se a relação entre as duas “partes” e entre estes e o comum dos cidadãos. A demagogia do poder e os argumentos falaciosos da oposição são demais evidentes. E como se pode mudar este estado de coisas? Não pode!! E porquê? Vejamos um exemplo “prático”. Imaginemos um cidadão competente na sua área profissional, honesto, empenhado e com vontade de ajudar o seu próximo. Inocentemente pensa que pode contribuir com todas as suas capacidades numa causa comum e que pode passar por integrar uma lista para a sua autarquia. Pode optar por dois caminhos: ou se candidata numa lista independente ou “vende” a sua consciência a um partido político. No primeiro caso e se ganhar umas eleições ia-se sujeitar aos ataques dos profissionais da política. Todos os motivos seriam bons para o caluniarem, enxovalharem, duvidarem da sua honestidade e competência, etc. E se se integrar numa lista partidária? Aconteceria exactamente o mesmo!

E pergunto agora eu: qual é o cidadão decente que se quer ver envolvido numa situação destas? Nenhum!!

A política é como uma droga: depois de se provar já não se quer outra coisa. O poder, o protagonismo, as mordomias, o DINHEIRO, são factores que fazem correr a grande maioria desta classe cada vez mais desprezada pelos cidadãos.

Ora se os capazes se afastam, quem sobra? Os incompetentes, os desonestos, os vaidosos, os intelectualmente menores e todos aqueles que não sabem fazer mais nada.

Uma mãe (mulher de um ex-lider político de um não importante partido) a falar para outra sobre o seu filho – “ o rapaz depois de fazer o 12º ano não quis continuar a estudar e como tal metemo-lo na política”.

Palavra para quê, é um político português.

Jacinto César


Tasca das amoreiras às 17:14
Link do post | Comentar | favorito
Terça-feira, 4 de Dezembro de 2007

Pena de Morte

Aquando do referendo sobre o aborto envolvi-me em várias polémicas por manifestar o meu NÃO veemente. Referi várias vezes que a IVG era autenticamente a “condenação á morte” dum inocente. Disse-o e continuo a repeti-lo. Para mim é um crime praticado sobre alguém que não teve culpa de “ter sido chamado” a este mundo por alguém que depois se arrependeu. Infelizmente o referendo deu no que deu e o morticínio continua. Mas à boa moda dos “vermelhos”, a luta continua! Mas à frente.

Hoje gostaria aqui de reflectir sobre a pena capital.

Sempre entendi e continuo a entender que a pena de morte é o processo mais simples da sociedade fazer pagar alguém por crimes que praticou. A velha máxima do “olho por olho, dente por dente” não pode ser aplicada por uma sociedade civilizada, sob pena de um qualquer dia destes vermos um violador ser condenado a ser violado e sucessivamente. Se se praticou um crime, este deve ser punido, mas nunca da maneira mais simples que é eliminar pura e simplesmente o criminoso. Recuso esta ideia mesmo para crimes confessos.

Esta é a razão principal pelo qual sou contra. Mas se esta não chegasse, poderia ainda argumentar outro factor a ter em conta: o erro judicial. Se já é bárbaro condenar um culpado, que dizer de condenar um inocente? Não se pense que é invulgar. Vai que não vai outro caso de erro vem parar à opinião pública. Faz hoje oito dias que nos EUA foi absolvido alguém que foi condenado à morte há quinze anos. Esse homem permaneceu QUINZE anos no chamado “corredor da morte” sendo inocente.

Mas como é possível que tal se passe num país que se diz “o mais desenvolvido do mundo”? Se a isto se chama desenvolvimento, prefiro viver “no meu país subdesenvolvido”. E se isto acontece nos EUA que pensar do que se passa noutros países onde a referida pena está institucionalizada e aplicada por dá cá aquela palha?

Para mim basta-me a primeira razão!

Jacinto César


Tasca das amoreiras às 01:30
Link do post | Comentar | Ver comentários (1) | favorito
Domingo, 2 de Dezembro de 2007

Uma vez mais as contas!...

Na passada Sexta-feira, e no contexto de mais uma greve da Função Pública, veio o governo, novamente demonstrar a sua “capacidade de cálculo”, e a “fidedignidade” e “correcção”, dos números que apresenta, relativamente a quaisquer outros números que posam ser aplicados.
Enquanto ás oito da noite, a quatro horas antes do final da greve, os sindicatos (imagine-se a incompetência), anunciavam números de adesão entre os setenta e os oitenta por cento, uma margem de dez por cento, algo como setenta mil pessoas, o governo, recorrendo aos resultados do “choque tecnológico”, à grande “capacidade de organização” que lhe é reconhecida e ao rigor na apresentação de números que já aqui referi em post anterior, fez “carregar” os números referentes à adesão nos vários sectores no “sistema”, e apresentou à mesma hora uma taxa de adesão de “vinte um virgula oito por cento, mais propriamente vinte um virgula oitenta e um por cento”( João Figueiredo, Secretário de Estado da Administração Pública, Telejornal da RTP1, 30/11/2007)!...
Repare-se na precisão, um erro inferior a setenta pessoas, isto quatro horas antes do final da greve!...
Apenas três pormenores me levantam algumas dúvidas:
 
-         Nos serviços que encerraram, quem fez o “carregamento” dos dados?...Algum dos trabalhadores em greve no cumprimento de “serviços mínimos” de última hora?...
-         Que dados foram realmente “carregados”, o número de trabalhadores em greve, ou os números (de BI) dos trabalhadores em greve?...
-         Finalmente como podaram pouco mais de cento cinquenta mil e seiscentos trabalhadores de uma administração composta por setecentos mil, aproximadamente um em cada cinco, conseguiram fechar tantos serviços, paralisar tantos outros e provocar dificuldades de funcionamento em muitos mais, tudo isto numa administração que, segundo o governo, tem tantos funcionários a mais?...
Certamente que o Governo terá explicação “clara” e “concisa” para estas questões
 
António Venâncio
 
 
 
 

Tasca das amoreiras às 15:04
Link do post | Comentar | favorito

Últimos copos

Forte da Graça - 18

Forte da Graça - 17

Forte da Graça - 16

Forte da Graça - 15

Forte da Graça - 14

Forte da Graça - 13

Forte da Graça - 12

Forte da Graça - 11

Forte da Graça - 10

Forte da Graça - 9

Adega

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Agosto 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


A procurar na adega

 

Blogs de Elvas

Tags

todas as tags

últ. comentários

Nest baluarte existio uma oficina de artesanato on...
JacintoSó agora tive oportunidade de lhe vir dizer...
VERGONHA? MAS ESSAS DUAS ALMAS PERDIDAS RONDÃO E E...
Uma cartita. Uma cartinha. Uma carta.Assim anda en...
Os piores lambe-botas são os partidos de Esquerda ...
O mundo está para os corruptos e caloteiros. Uma a...
O mundo é dos caloteiros . Uma autentica vergonha.
"Não se pode aceitar que um professor dê 20 erros ...
penso k será pior dizer k ñ tem pais!ou k ñ sabe k...

mais comentados

101 comentários
89 comentários
86 comentários

subscrever feeds

SAPO Blogs