Elvas sempre em primeiro

Todos os comentários que cheguem sem IP não serão publicados.
Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009

Energia 1

É certo que o preço do petróleo caiu nos últimos meses, e se situa neste momento muito abaixo dos valores de há um ano atrás (sem que isso se reflicta, na totalidade, no preço dos combustíveis), mas isso não nos pode fazer perder de vista o fundamental.

Esta situação de abaixamento do preço do petróleo deve-se apenas a uma descida temporária da procura, verificada devido à crise económica, e à colocação no mercado, pelos especuladores, de elevadas quantidades que mantinham em reservas, na expectativa de realizar mais valias significativas aproveitando a subida galopante que se vinha verificando, e que agora se vêem forçados a vender por questões de liquidez.

A crise energética está aí e será uma realidade que acompanhará, e por ventura dificultará, a retoma económica, logo que o crescimento volte a exercer pressão sobre a procura. Daí a necessidade de tomar medidas atempadas no sentido de minorar os seus efeitos.

Cabe a todos nós, dentro das nossas possibilidades, contribuir para a resolução deste problema.

Nesta perspectiva, seria importante que as entidades públicas assumissem a sua quota-parte desta responsabilidade, e se constituíssem como exemplo, tornando-se vanguarda neste campo.

 Tendo por base estes pressupostos, vamos analisar alguns edifícios púbicos do nosso concelho, e tentar perceber onde seria possível melhorar o desempenho energético, nomeadamente pela substituição, total ou parcial, da energia consumida por energias renováveis, com evidentes benefícios ambientais, energéticos e económicos, e dando um exemplo que servisse de estimulo ao aproveitamento de uma das riquezas que temos disponíveis e sub aproveitadas.

É certo que, nos edifícios situados no centro histórico, pouco ou nada podemos fazer a não ser utilizar os equipamentos de iluminação e aquecimento/arrefecimento o mais eficientes possível, pois a colocação de equipamentos de produção de energia solar, termica ou fotovoltaica, ou eólica seria incompatível com as aspirações da cidade em termos de património e de turismo que devemos manter intactas, no entanto nos edifícios fora do centro histórico muito há que pode ser feito.

Por hoje abordaremos o pavilhão gimnodesportivo que, curiosamente, não sendo das instalações mais recentes do concelho, está dotado de um conjunto de colectores solares térmicos para produção de água quente. Desconheço se os mesmos estão ou não a ser utilizados, mas o seu estado de conservação indicia, ou estão em desuso, ou a sua eficiência é seguramente muito baixa. Dada a orientação extremamente favorável, (praticamente virada a sul) e o facto de a nossa região ser uma das mais favoráveis do país em número de horas de sol, a área de painéis aí instalada, poderia produzir anualmente entre 7363 e 7855 Kw/h/ano dependendo da tecnologia utilizada, o que reduziria a factura energética do espaço. Penso pois que seria de considerar a reactivação do sistema, após estudo do perfil de consumo, de modo a escolher a tecnologia mais adequada, a área de colecctores e o volume de armazenamento a instalar para assegurar a maior taxa de cobertura possível.

Voltaremos ao assunto brevemente, abordando a situação de outros espaços concretos, e a possibilidade de neles implementar soluções de energia renovável

 

 

 

António Venâncio


Tasca das amoreiras às 00:00
Link do post | Comentar | favorito
22 comentários:
De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 09:19
"...instalações mais recentes do conselho"

Quer um CONSELHO amigo Venâncio? Mude de CONCELHO e vá para bem longe!

E são estes energúmenos que andam a ensinar os nossos filhos!


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 12:19
O Paulinho Portinholas adora a palavra "energúmenos". Tem experiência própria.


De J.Fonseca a 12 de Janeiro de 2009 às 09:36
Sr. Engenheiro Venancio:
Com todo o respeito pelos seus escritos, penso que tinha toda a conveniencia em ser mais sucinto na forma de escrever. È que podendo ter razão tecnicamente no explanar dos temas, a verdade é que se tornam muito "maçudos" e muita gente desiste logo de os ler até ao fim.
Gostava que entende-se isto como uma crítica construtiva.
J.Fonseca


De Tasca das amoreiras a 12 de Janeiro de 2009 às 11:37
Caro J.Fonseca
Tem provavelmente razão, procurarei ter isso em atenção nos próximos restos.
Ao querer fundamentar aquilo que escrevo, muitas vezes o texto fica mais longo do que devia.
Nalguns caso, como no presente, obrigou-me até a subdividir o texto.

António Venâncio


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 12:21
O lançamento do número 28 da revista Monumento, editada pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, onde Elvas surge como uma cidade de grande monumentalidade e intervenções urbanas adequadas, com o Auditório São Mateus a abarrotar de 250 pessoas que saíram rendidas ao momento em que tinham participado, é mais uma lição para os portinholeiros desenvolvimentistas, de braço dado com os STALinistas, que pensam que “isto vai lá” com blogues de má-língia do Tiago, artigos no Linhas do Viery e umas reunões com amigalhaços e muitos familiares à mistura…
Vão lá, vão.
Já lá estão a marcar lugar; no conhecido muro das lamentações autárquicas.


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 12:26
A festa organizada pela Junta de Freguesia da Terrugem, onde foram distinguidos a Associação de Beneficiência Amigos da Terrugem (ABAT), o terrugense César Magarreiro e José Rondão Almeida, presidente da Câmara Municipal de Elvas, com o Centro Cultural da freguesia a abarrotar é mais uma lição para os portinholeiros desenvolvimentistas, de braço dado com os STALinistas, que pensam que “isto vai lá” com blogues de má-língia do Tiago, artigos no Linhas do Viery e umas reuniões com amigalhaços e muitos familiares à mistura…
Vão lá, vão.
Já lá estão a marcar lugar; no conhecido muro das lamentações autárquicas.


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 17:11
Comentador das 12.26
Que bela Lição de Sabujice
Parabéns
Continuem porque também não escapam ao Inferno.
Ou pensam de que...


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 14:54
ALGUÉM ME SABE DIZER QUAL É A PROGRAMAÇÃO DO MÊS DE JANEIRO A NÍVEL DE ESPECTÁCULOS???? É QUE AINDA NÃO VI NADA DIVULGADO A NÃO SER O CARRO A ANUNCIAR AQUILO QUE TODOS OS ANOS SABEMOS QUE HÁ...A PROGRAMAÇÃO DO DIA 14. E O RESTO? OUVI DIZER QUE VINHAM GRANDES NOMES QUE ANDAM NA BERRA, MAS E OS DIAS? QUANDO SÃO? NÃO HÁ INFORMAÇÃO?
LI NA DICA QUE vÊM OS DEOLINDA, E O RESTO? OU SÓ ANUNCIAM NO FIM DO MÊS.


De Tonho a 12 de Janeiro de 2009 às 23:09
Este Paulinho Portinholas é cá um macacão!
Viu o post do blog Elvas Melhor às 14.22H com o programa da batalha para todo o mês, clicando em cima da data viu a data da publicação, foi ao site da Câmara e não encontrou...
Teve um ataque de ciumes e às 14.55H escreveu este comentário para despoletar a maledicência e despertar a inveja e a competição entre pessoal da Câmara.
Só se algum funcionário ou vereador da Câmara fosse tão perturbado da cabeça como tu, Portinholas, é que te ligavam importância.


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 23:34
QUE SORTE OUVIR O CARRO ANUNCIAR SE OUVI DIZEZ QUE A VEREADORA VITÓRIA BRANCO MANDOU O MOTORISTA DE FÉRIAS ESTE MÊS COM TANTA COISA PRA DIVULGAR. TEM QUE TER DESCULPA PRÁ INCOMPETÊNCIA.


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 15:02
Pois, ninguém sabe porque não interessa. Souberam por acaso que no sábado ouve bailado? NÂOOOOOOOOOOOOO. ´Pois havia cerca de 10 pessoas no Cine Teatro a assistir, familiares dos dançarinos.
Bela imagem que estes artistas levam da cidade. NÃO HÁ DIVULGAÇÃO. Porquê? Por ser do pelouro da Srª Vereadora Vitória Branco? Mas sabemos tudo o que é Monumentos, Museus, etc. Senão vejamos, basta consultar o site da Autarquia. No que diz respeito ao 14 de Janeiro só falam desse dia, tudo o resto é merda. Não vale a pena fazerem nada se não existe conhecimento do público em geral. Mas de quem é a culpa?


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 15:47
A vontade de dizer mal é tanta que até cega.
Impede de ver, no site da câmara por exemplo, que o programa completo de Janeiro está lá.

E há cartazes na rua.
E há anúncios nas rádios.
E há um porta-a-porta de 12.500 programas, nas caixas de correio de todo o concelho.

Por vezes, a vontade dos mesmos do costume de dizer mal dos mesmos do costumes cega; pelo menos, impede de ver; encandeia, pelo menos.


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 16:00
É o vício da má-lígua.
Prática portinholeira nítida


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 17:15
É o vício de falar Verdade.


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 16:17
Eu é que sou cego? E o Burro sou eu? Agora sim, puseram no site da Câmara, mas antes não estava. Foi esquecimento, mas pelo menos serviu a mensagem para a sua rectificação. Afinal vale a pena chamar á atenção, claro.
Dizer mal? Se isto é dizer mal....E se eventualmente puseram não sei quantos mil nas caixas do correio, eu ainda não recebi nada. E rádios não sou obrigado a ouvir. Cartazes? Nãaaa...Se há são tão poucos que aqui o cegueta ainda não viu.


De Anónimo a 12 de Janeiro de 2009 às 17:14
Assim é que é.
Chamar a atenção para corrigir.
Muito bem caro Leitor


De Rolando Palma a 12 de Janeiro de 2009 às 22:12

É bem verdade que as energias renováveis são ( e serão cada vez mais ) a alternativa ao petróleo. E a propósito, compilei alguns dados que, de uma forma muitos simples, ilustram o que tem sido a " aventura " do petróleo, nos últimos 45 anos.
E dá que pensar...
Passar de 1,5 dolares o barril para aqueles 150 doláres de 2008...
E aqueles picos de valores, que como não podia deixar de ser... claro que são guerras...

Ano Produção Petróleo Preço Barril
( Milhões barris/ dia ) ( US$ )

----------------------------------------
1965 15 1,5
1966 16 1,5
1967 17 1,5
1968 18 1,5
1969 20 1,6
1970 22 1,8
1971 25 3
1972 27 3
1973 29 4
1974 31 12
1975 27 12
1976 27 13
1977 31 14
1978 30 14
1979 31 20
1980 28 32
1981 25 39
1982 21 36
1983 18 33
1984 18 30
1985 17 30
1986 18 29
1987 20 36
1988 20 30
1989 23 36
1990 25 45
1991 25 34
1992 26 32
1993 27 30
1994 28 25
1995 28 29
1996 29 32
1997 30 28
1998 32 18
1999 31 21
2000 30 26
2001 32 24
2002 30 21
2003 31 32
2004 33 39
2005 35 54
2006 36 65
2007 32 58
2008 30 110
2009 25 (*)


Nota: Os valores da produção reflectem o grupo OPEP, e os valores do barril são valores médios anuais.

A produção estimada para 2009 será, segundo divulgou a Opep, de 25 milhões de barris/ dia.

A ver vamos, não é ?


De Constanza a 13 de Janeiro de 2009 às 14:58
As energias alternativas só serão alternativa aos combustíveis fósseis na geração de electricidade, porque como fonte de energia para "pópós" não servem.

Com uma sociedade "viciada" e dependente de automóveis assim como toda a estrutura económica quase exclusivamente montada para transportes com motor de combustão será difícil aguentar a pressão exercida pela quantia finita de combustíveis fósseis existentes no sub-solo.



De Tasca das amoreiras a 13 de Janeiro de 2009 às 16:29
Puro engano Constanza:

Em primeiro lugar o caso em questão reduz o consumo de Gás, um combustível fóssil, e não de electricidade.
Em segundo lugar grande parte da energia eléctrica que consumimos é produzida a partir de combustíveis fósseis, logo baixando o seu consumo, estamos a diminuir a pressão sobre os mesmos.
Terceiro, se for possível assegurar, de fontes alternativas a energia eléctrica necessária, o problema da locomoção automóvel também se pode resolver por energia eléctrica, a partir de pilhas de combustível, e com recurso ao Hidrogénio obtido por electrólise da água. O problema é mesmo conseguir produzir, por meios alternativos, toda a energia que necessitamos seja ela eléctrica ou sob qualquer outra forma.
Desde que tenhamos energia, as soluções de conversão existem.
Se quiser poderá deslocar-se à Escola Secundária D. Sancho II em Elvas, durante a semana aberta que decorrerá em Março, na última semana antes da interrupção da Páscoa, e ver um modelo de um carro utilizando a tecnologia do Hidrogénio, sendo este produzido por energia solar.

António Venâncio


De Constanza a 14 de Janeiro de 2009 às 17:34
Obrigado pela sua resposta pronta.

Concordo em absoluto com tudo o que escreveu, pois são raciocínios lógicos e cientificamente correctos.

Gostava apenas de acrescentar à discussão o vulgarmente chamado "EROEI" (energy return on energy invested), factor pelo qual a maioria da geração de electricidade é feita através do recurso aos combustíveis fósseis. Pois considerações termodinâmicas não podem ser esquecidas.

Quanto aos "pópós", os problemas que eu (e muita outra gente) vemos na proposta conversão são estes e têm de ser equacionados:

- A questão do EROEI;
-A alteração do sistema de abastecimento. (fica-se na bomba umas horas à espera que a bateria carregue ou com uma grua coloca-se outra?);
-A alteração para esse sistema teria custos brutais inerentes pelo que essa transição teria de ser subsidiada pelo Estado, o que acarretaria um agravamento dos impostos;
E muitos outros que não posso aqui divulgar, pois creio que muitos dos leitores deste blog (os que se insultam estupidamente sem interesse em discutir ideias) e porque tenho de ir lanchar (ingerir calorias=energia!).

Quanto à visita à Escola Secundária D. Sancho II, agradeço-lhe desde já o convite. Pois foi onde passei 3 anos da minha formação académica. Mais perto dessa data podia publicitar aqui, na TASCA DAS AMOREIRAS.

Deixo aqui duas ligações, para que os leitores que quiserem informar-se...
http://www.aspo-portugal.net/
http://www.theoildrum.com/



De Tasca das amoreiras a 15 de Janeiro de 2009 às 10:01
São pertinentes a maioria das questões que levanta, e será sempre um sobressalto, a transição para as energias alternativas, mas é inevitável. Quanto ao abastecimento dos veículos automóveis, a solução, a médio prazo, penso ser o hidrogénio e não as baterias, que na realidade têm os problemas que indica.
A questão que me levou a escrever este texto, e outros que se lhe seguirão, é que necessitamos desesperadamente de ganhar tempo, através da redução dos consumos e do aproveitamento da energia existente, para desenvolver, e resolver alguns problemas que se colocam às tecnologias que servirão de suporte à “revolução” energética que se avizinha.

António Venâncio



De Tasca das amoreiras a 13 de Janeiro de 2009 às 16:52
Caro Rolando

Muito interessantes os dados que aqui apresentas, e por certo dão para tirar algumas conclusões. Mas deixa-me dar-te uma dica relativamente a todos estes dados publicados sobres as os volumes preços do petróleo transaccionado. São um pouco como a “garrafa do Chevas” para uns meia cheia para outro meio vazia. Se compararmos os dados fornecidos pelos importadores de combustíveis com os dos exportadores, verificamos que as disparidades são enormes, o que nos deixa ainda com mais dúvidas. Se a isto acrescentarmos o facto de disparidades semelhantes se verificarem quando se trata de avaliar as reservas de petróleo, conforme as fontes, torna-se quase impossível perspectivar o futuro nesta área.

António Venâncio


Comentar post

Últimos copos

Forte da Graça - 18

Forte da Graça - 17

Forte da Graça - 16

Forte da Graça - 15

Forte da Graça - 14

Forte da Graça - 13

Forte da Graça - 12

Forte da Graça - 11

Forte da Graça - 10

Forte da Graça - 9

Adega

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Agosto 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


A procurar na adega

 

Blogs de Elvas

Tags

todas as tags

últ. comentários

logo que poluiçao iriam causar duas ou tres embarc...
Muito interessante. Nessa documentação há document...
Nest baluarte existio uma oficina de artesanato on...
JacintoSó agora tive oportunidade de lhe vir dizer...
VERGONHA? MAS ESSAS DUAS ALMAS PERDIDAS RONDÃO E E...
Uma cartita. Uma cartinha. Uma carta.Assim anda en...
Os piores lambe-botas são os partidos de Esquerda ...
O mundo está para os corruptos e caloteiros. Uma a...
O mundo é dos caloteiros . Uma autentica vergonha.
"Não se pode aceitar que um professor dê 20 erros ...

mais comentados

101 comentários
89 comentários
86 comentários

subscrever feeds

SAPO Blogs