Elvas sempre em primeiro

Todos os comentários que cheguem sem IP não serão publicados.
Quarta-feira, 30 de Janeiro de 2008

Há Carnavais e Carnavais

Tal como as touradas, já que as há dentro do redondel e fora dele (diga-se em abono da verdade que estas últimas são bem melhores), o Carnaval divide-se em dois: o do período do Entrudo e o resto dos dias do ano. Se no primeiro caso nada se lava a mal pois é Carnaval, já do segundo não posso dizer o mesmo.

Toda a gente anda mascarada. São os pobres a fazer figura de ricos e os ricos por conveniência fazerem figura de indigentes (não vão os malandros das finanças cobrar-lhes algum imposto). São os burros a fazerem-se de espertos e os espertos a armarem-se em parvos. São as mulheres a quererem armar-se em machos e os machos com ar de mulheres. São os pobres de espírito a imitar os intelectuais e estes últimos a passarem por pessoas simples. Todos se mascaram. E o pior ainda são aqueles que pertencem a uma certa classe: os políticos. Já viram a quantidade de pessoas que andam o ano inteiro disfarçados de ministros, de governadores civis, de presidentes de câmara e de todos os demais cargos? E já repararam quantos deles são autênticas cavalidades? Já repararam que muitos deles e antes de o serem não passavam de pessoas simples e mesmo pessoas que não tinham onde cair mortas? E destes quantos andaram a fazer figura de pobretanas e de repente se mascararam de ricos? Eu sei lá que mais. O que sei dizer é que meio país se transverte durante 360 dias por ano. A outra metade por “inveja” transverte-se nos outros 5 dias.

 

Como estamos agora no verdadeiro Carnaval, ninguém me leve a mal.Elvas

 

Jacinto César   

Tags:

Tasca das amoreiras às 22:35
Link do post | Comentar | favorito
|
Terça-feira, 29 de Janeiro de 2008

A mais velha aliança do mundo

Não sei porquê, mas parece-me que esta aliança está a finar-se. Pode ser que esteja enganado, mas ultimamente são tantos os atritos com os “beefs” (passe a publicidade ao Wall Street Institute) que faz com que eu não possa pensar de outra maneira. Isto vem a propósito da denúncia que um grupo de advogados ingleses fez sobre a eventual passagem da quase totalidade dos prisioneiros afegãos pela Base das Lajes nos Açores.

Defendo e sempre defendi os direitos humanos. Quem me conhece sabe que é verdade. Agora fazerem do meu país o bode expiatório de todos os males de uma guerra, é que não posso aceitar. É verdade que se estão a infringir os direitos mais elementares aos prisioneiros em Guantanamo (apesar de acreditar que os que ali estão não devem ser meninos de coro). De isso não restam dúvidas. Agora acusarem Portugal de que os ditos prisioneiros fizeram escala nos Açores não significa que nós sejamos os maus de uma fita que não tem fim. E os outros que fizeram o conflito, incluindo os nossos “aliados” ingleses? Será que têm a consciência assim tão limpa, ou já se esqueceram das tropelias que têm feito tanto no Afeganistão no Iraque? O será que enquanto jogam ao ataque vão escondendo o que fizeram e fazem?

Acredito que os célebres aviões passaram pela Base das Lajes! E será que se Portugal se tivesse manifestado contra, os ditos aviões não teriam feito a escala na mesma? Santa inocência! Os americanos com a sua prepotência jamais teriam dado ouvidos ao nosso país. Na teoria o território é português, mas na prática são os “cowboys” que mandam. É assim como uma espécie de Guantanamo em Cuba.

A outra explicação que encontro para esta recente animosidade por Portugal, pode ser uma pressão política para que o caso dos MacCann se resolva rapidamente a favor dos mesmos. Não há ingleses maus e muito menos capazes de cometerem a barbaridade da acusação que recai sobre o pobre casal britânico.

Já agora uma perguntinha inocente aos “beefs”? Por acaso sabem onde ficam as ilhas Malvinas? Não? Aquelas a que vocês chamam de Falklands? Ah, essas conhecem, mas já deviam ter vindo embora de lá! Ou será que gostam ainda de ser colonialistas?

 

Jacinto César  


Tasca das amoreiras às 16:56
Link do post | Comentar | Ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2008

Coragem precisa-se!

Ontem à noite e pela enésima vez, fiquei colado ao pequeno ecrã ver um filme sobre um homem muito pequeno, mas enorme de carácter e verticalidade, de seu nome Ghandi.

Tenho consciência que não é a toda a hora que nascem pessoas desta grandeza. Talvez meia dúzia por século. Mas eu também não pedia tanto. Bastava que aparecessem alguns não tão grandes, mas que aparecessem. E Portugal em particular precisava de uns quantos. Mas infelizmente não! Nem governantes, nem opositores, nem cidadãos comuns. Nada. Eu, claro está, também não sirvo de exemplo para ninguém, mas ao menos não tenho medo do que digo e escrevo e assuno as minhas acções e opções, mesmo que estas não sejam as melhores.

Isto vem a propósito deste pequeno mundo (já não é tão pequeno quanto isso) da blogosfera. Por acaso já repararam que a maioria dos blogs não são assinados? E que dizer dos comentadores? Como é que estes cidadãos terão coragem para outros voos se nem para manifestar a sua opinião deixam de assinar como anónimos ou com um qualquer “nikename”? Como é que se pode pedir e exigir coragem aos outros? Grande lata! Hoje resolvi fazer aqui um apelo aos nossos leitores: digam o que disserem, será sempre publicado, mas encham o peito de ar e ponham lá o nome, senão tenho que admitir que são cobardes. Acredito que haverá alguns comentadores que até estejam comprometidos com o poder, mas que discordam dele. Mais uma razão para assinar sem complexos. Ninguém vos vai fazer mal, a não ser que usufruam de regalias que podem perder. Neste caso o acto ainda será mais louvável.

Por favor, sim?

PS – Claro que há sempre excepções.

 

Jacinto César


Tasca das amoreiras às 22:05
Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 27 de Janeiro de 2008

Carta a um pai que já foi.

Caro pai anónimo.

Lembra-se com certeza do dia que lhe nasceu o primeiro filho. Eu lembro. Até dá vontade de chorar de alegria. É a melhor coisa que nos pode acontecer. É o nosso ai Jesus. Tudo é pouco para ele. É com a maior alegria que lhe vamos comprar as primeiras roupinhas, alegria essa que vai aumentando com o primeiro sorriso, para já não falar no dia em que deu o primeiro passo. Fotografias são às centenas. Todas as gracinhas são boas para fazermos um “boneco” para a posteridade. O menino cresceu e nós ensinámo-lo a andar de patins, de bicicleta, e até jogamos à bola com ele. É o nosso orgulho. Se algo de mau lhe acontece pensamos logo no pior. Á que ir a correr com ele ao médico ou mesmo ao hospital. Preferíamos ser nós a morrer do que ele a partir uma perna ou coisa do género.

A primeira grande tristeza acontece quando o temos que “abandonar” no seu primeiro dia de jardim-escola ou na escola primária. O menino chora tanto que até nos parte a alma. Mas lá ultrapassamos o trauma. Só que, …

A partir desses primeiros dias apercebemo-nos que ganhámos um pouco de tempo para nós e nunca mais queremos outra vida. É como uma droga: experimentamos e depois ficamos viciados.

O menino vai crescendo e cada vez mais só. Se enquanto pequeno o próprio diz que quer ser como nós quando for grande e nos imita em tudo o que fazemos, a partir de certa altura tudo muda. Quer voar sozinho, contesta-nos por tudo e por nada e começa a fazer somente aquilo que quer. Estamos a começar a perder o controle da situação. O nosso comodismo e para nosso sossego, vamos facilitando cada vez mais as coisas. Deixamos de ver e de ouvir e o já rapaz encontra-se entregue a si próprio. É o princípio do fim.

A sociedade actual é aquilo que todos nós sabemos. Comporta perigos a cada esquina. Uns conseguem passar incólumes por todas essas barreiras. A maioria infelizmente não.

Se ao princípio chorávamos de alegria e até não tínhamos vergonha de o fazer, agora começámos a chorar de tristeza. E sós! Começou o nosso calvário. E que fazemos nós? Nada, a não ser disparar em todas as direcções tentando justificar o injustificável. É o nosso conformismo, a nossa inépcia e a nossa cobardia que levam a que aconteça o que relatei no post anterior. Mas alguém dúvida disso? Todos contribuem com uma parte do descalabro, mas é a nós pais que no cabe a responsabilidade maior, pois a partir de certa altura demitimo-nos da função a que estávamos obrigados: SER PAIS! É com mágoa que o digo, mas sei do que falo.

Se como professor tenho a obrigação de formar uma criança, cabe aos pais EDUCAR essa criança, que até é seu filho e que até não pediu para nascer.

Nós pais devíamos estar envergonhados com o que acontece aos nossos filhos, mas é muito mais fácil fazermos como o avestruz: metemos a cabeça no buraco quando pressentimos o perigo. É preferível morrer sem saber como.

 

Jacinto César        


Tasca das amoreiras às 18:59
Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 26 de Janeiro de 2008

Paulo Teixeira Pinto (BCP)

Mais uma vez venho jogar ao ataque, mas parece-me bem que quem joga à defesa é que ganha. Vejamos:

 

- nestes últimos tempos quantas vezes ouvimos nós nos meios de comunicação social casos de trabalhadores que por incapacidade física recorreram a juntas médicas e de lá vieram de mãos a abanar? Um bom par delas e muitas portadoras de doenças gravíssimas. Toca a trabalhar seus malandros! Não é por um crancrozito sem importância que vão ser reformados por invalidez. E uma artrite reumatóide não impede ninguém de dar o litro!

 

- na semana que agora acaba, um mero cidadão de segunda categoria e já velho de 46 anos de idade, foi despedido do banco onde “trabalhava” no Conselho de administração. Ficou muito traumatizado e deprimido, pois os malandros dos patrões só lhe tinham dado de indemnização 9 milhões e mais uns trocos de euros. Depois de se sujeitar à rigorosa junta médica, esta achou por bem que o homem não tinha condições para trabalhar e reformou-o com a ridicularia de 3500 euros mensais para toda a vida.

 

- o nosso desgraçado cidadão ficou tão desgostoso com a reforma que lhe foi atribuída, que mesmo doente e tudo resolveu fazer uma perninha como assessor numa consultora financeira. Imagino o sacrifício que deve estar a fazer.

 

Perante tudo isto só me apetece gritar: BASTA, PORRA!

 

Jacinto César   


Tasca das amoreiras às 00:58
Link do post | Comentar | Ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Janeiro de 2008

Comentários para quê, é um pai português!

Reflictamos um pouco!

 

            Mar…… 14 anos

            Perdi a virgindade numa festa com amigos, depois de ter feito uma coreografia erótica com outra rapariga onde nos acariciámos e tirámos as roupas até ficarmos em lingerie. A plateia masculina tirava fotos com o telemóvel.

Nesta farra, comecei por fumar charros e depois snifei cocaína com palhinhas de sumo.

 

            Sa… 12 anos

            Tive práticas sexuais agressivas com um chicote. Vi filmes pornográficos e observei várias vezes a minha irmã mais velha a ter relações no quarto. Perdi a virgindade com 10 anos num local público e compito com as minhas amigas para ver quem arranja mais rapazes. Acham-me “boazona”

 

            Ri….. 16 anos

            Experimentei sexo a 3, com uma amiga de infância e um rapaz que conheci uma noite na praia. Havia pescadores a assistir. Pratiquei cinco vezes sexo oral com a minha amiga. Fumo canábis desde  os 15 anos e bebo cerveja e uísque.

 

In… 16 anos

Fiz ménage à trois com dois rapazes mais velhos que eu na sala lá em casa. Eram 3 da manhã.  Já experimentei ácidos, ecstasy, haxixe, bolota e canábis. Em média fumo 5 charros por dia. Bebo sangria, vinho e shots.

 

Ti… 15 anos

Não vou ás aulas para fumar charros e já perdi o ano com 250 faltas. Na última passagem de ano bebi shots e 15 cervejas. Depois de vomitar espumei pela boca.

 

An…. 14 anos

No verão passado fiquei em coma alcoólico depois de beber moscatel, vodca, bebidas energéticas, shots e cervejas. Às 3 da manhã “apaguei-me” tendo acordado no hospital sem saber o que tinha acontecido.

 

An… 16 anos

Tive relações com o meu namorado em todas as posições enquanto ele filmava. O filme foi dividido em 4 takes de 15 segundos. As imagens foram divulgadas na escola.

           

Sete casos são aqui contados na primeira pessoa e que são relatados na revista “Sábado”.

E pergunto eu mais uma vez onde estão os pais destes jovens? Será que são inocentes? Será que andam a dormir? Será que são permissivos? Ou será que são incapazes de dizer não? Já há uns tempos atrás tinha escrito aqui da necessidade de se criarem escolas para pais. Há dois dias atrás voltei ao tema com o “Tudo abaixo tudo acima”. Mas o que é que é preciso acontecer mais para que as coisas mudem? Ou será que hoje já não há pais mas sim padrastos?

 

Mais palavras para quê, é um pai português.

 

Jacinto César


Tasca das amoreiras às 22:52
Link do post | Comentar | Ver comentários (10) | favorito
|
Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2008

Pior que uma visão parcial é a ausência total de visão!...

Quem assistiu ontem ao Telejornal, deverá ter notado a passagem de uma peça de reportagem, na qual a Senhora Ministra da Educação afirmava terem as Escolas todas as condições necessárias para a realização da Avaliação de Professores, e para cumprir os prazos estabelecidos para essa avaliação. Estas afirmações foram proferidas em resposta a uma questão colocada por um jornalista, dando voz a declarações de responsáveis sindicais, os quais faziam notar que esses prazos seriam impossíveis de cumprir, devido ao facto de ainda não terem sido divulgadas as recomendações do Conselho Científico para a Avaliação de Professores, que deveriam nortear essa avaliação.
Com a arrogância que lhe é característica, referiu a Senhora Ministra, não responder às afirmações das organizações sindicais que tinham uma visão parcial da realidade.
Hoje, na página da Direcção Geral dos Recursos Humanos da Educação, foi inserida a notícia da alteração dos referidos prazos, começando os mesmos a contar da data da divulgação das recomendações do Conselho Cientifico para a Avaliação dos Professores referidas pelos responsáveis sindicais.
Parece Senhora Ministra, que afinal as condições não estavam todas criadas,, e mesmo com uma visão parcial era possível detectar o que estava em falta!...
Concordando com a Senhora Ministra que as associações sindicais têm uma visão parcial da realidade, terá a Senhora Ministra que concordar que pior é não ter qualquer visão da mesma, como parece ser o caso!...
 

António Venâncio


Tasca das amoreiras às 18:55
Link do post | Comentar | favorito
|
Terça-feira, 22 de Janeiro de 2008

Tudo abaixo, tudo acima!

Quem está ligado às coisas da informática sabe o que este termo significa! Para os que não ligam tanto, posso-vos dizer que este termo é utilizado quando um sistema operativo nos está “aborrecendo”, agora por uma coisa, logo por outra, e a “rapaziada” resolve apagar tudo (normalmente formatar o disco) e começar de novo (instalar o sistema operativo). Em traços largos é isto! Mas não é de informática que quero escrever, mas sim de EDUCAÇÃO. Perguntar-me-ão o que tem uma coisa a ver com a outra? Se para o caso da informática eu sou uns dos resistentes à utilização de um processo tão radical, para a educação eu propunha esse tratamento de choque. TUDO ABAIXO, TUDO ACIMA! Eu explico:

 

1-      Em primeiro lugar os pais tinham que voltar a assumir o seu papel, ou seja, de educadores. Mas educadores a sério e responsáveis. Arranjarem tempo para os filhos e seus problemas. Acompanharem o percurso educativo dos filhos de uma forma activa, responsável e à moda antiga. “Já fizestes os trabalhos de casa?” “Já estudastes hoje?” “Quando é que tens ponto?” “Porque é que faltaste àquela aula?” “Porque é que o professor te deu um estalo?” “Que fizeste tu para que tal acontecesse?” “Tiveste más notas? Então ficas de castigo em casa a estudar.” “Chumbastes o ano, então as férias já foram!”

Quantas vezes fazemos nós estas perguntas aos nossos filhos? Façam um exame de consciência.

 

2-      Em segundo lugar, vamos deixar de brincar ao ensino. Vamos ensinar a sério e não “aprendendo” a brincar. E que quero eu dizer com isto? Hoje os meninos vão para a 1ª classe e tudo o que vão “aprendendo” é acompanhado com jogos ou brincadeiras. Pedagogias modernas importadas por uns senhores que passaram umas férias em Bóston ou em Bordéus (quem está por dentro do assunto, sabe o que quero dizer). Voltemos ao antigamente! O menino quando sai da Escola Primária (1º ciclo) tem obrigatoriamente que saber contar, fazer contas, fazer cálculo mental, saber ler, saber escrever e saber interpretar, além de alguns conhecimentos de história e geografia de Portugal. OBRIGATORIAMENTE! Mas quem é que convence os ministros da educação do pós 25 de Abril que os meninos têm que saber isto? Claro está que quando acabam o 1º ciclo estes últimos pouco mais que analfabetos são. Chamemos os bois pelos nomes. Resultado de tudo isto: as crianças continuam “aprendendo brincando”, as deficiências vão-se acumulando ao longo dos anos e conclui-se disto tudo que não sabendo matemática e português, não sabem nada. Os resultados estão à vista. É bizarro verem-se jovens entrarem para a universidade que nem a conta mais simples sabem fazer sem terem de recorrer à máquina de calcular. É aberrante perguntar-se a um jovem o que é o feriado do 5 de Outubro e o rapaz encolher os ombros! É inacreditável que os nossos governantes saibam disso e andem a por remendos e a tapar buracos.

3-      Em terceiro e último lugar, os professores. Eu compreendo melhor que ninguém o que é ser-se professor nas actuais condições. Eu sei o que é ser-se um profissional desrespeitado pelo poder e logo pela população. Eu sei o que é ser-se humilhado e ofendido, não só por alunos como pelos pais e opinião pública. Eu sei o que é fazer-se um esforço muito grande para dar um passo em frente, quando logo de seguida somos arrastados dois passos atrás. Eu sei o que é ser-se professor e ninguém reconhecer o seu mérito, antes pelo contrário, ser-se reconhecido pelo mal que um qualquer mau profissional fez. Eu sei!

 

Em trinta e dois anos de serviço como professor aprende-se muito. Ganha-se muita experiência! Como tal, a minha opinião é TUDO ABAIXO, TUDO A CIMA. Vamos começar do zero.

 

Jacinto César


Tasca das amoreiras às 22:52
Link do post | Comentar | Ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2008

Estou Preocupado!...

O Senhor Primeiro Ministro, quando se candidatou, prometeu não subir os impostos, e foi o que se viu.
 A desculpa foi que o déficit estava muito acima dos 3%, e que, antes de tomar posse não sabia, mas a realidade é que agora o déficit anunciado é de 2,5 a2,6% e os impostos não baixam.
O Senhor Primeiro Ministro, quando se candidatou, prometeu cento e cinquenta mil empregos, e apesar dos desempregados escondidos nas “novas oportunidades” e outros programas de “formação” parecidos, o desemprego continua a aumentar.
O Senhor Primeiro Ministro, prometeu um referendo ao Tratado Europeu, e há poucos dias, comunicou aos Portugueses que o tratado vai ser ratificado na Assembleia da República.
Na sua mensagem de Natal, o Senhor Primeiro Ministro, veio dizer que dois mil e oito seria um ano melhor para os Portugueses que os anteriores, pouco tempo decorrido, ficámos a saber que as previsões do Banco de Portugal para a inflação, ultrapassavam em vários pontos as do Governo, aquelas em que se baseiam a maioria dos aumentos, desde os dos salários aos das pensões.
Já sabemos qual a “melhoria” que podemos esperar!...
Na sequência de notícias saídas no jornal El País segundo as quais, pairava uma ameaça de um ataque terrorista sobre vários países, entre os quais o nosso, o Senhor Primeiro Ministro veio hoje dizer que não há razão para alarme!...
Estou preocupado!...Será que Portugal vai mesmo ser o alvo do atentado?...
 

António Venâncio


Tasca das amoreiras às 19:59
Link do post | Comentar | favorito
|
Terça-feira, 15 de Janeiro de 2008

E aconteceu!

Não era nada que não estivesse previamente planeado, mas como a esperança é sempre a última a morrer, podia ser que à última da hora houvesse uma reviravolta. Mas não. Os planos às vezes também são para cumprir.

Refiro-me à eleição do novo conselho de gestão do BCP. O Dr. Miguel Cadilhe ainda tentou que o voto fosse secreto, mas à boa maneira comunista, de braço no ar é que foi. Os chefes precisam de contar espingardas e saberem com quem contam. Claro está que os que votaram a favor também precisam de se fazer notados e marcar posições, pois as “contas”, mais dia menos dia, terão que ser apresentadas! E quem pagará? Quem “houvera” de ser!

Acreditem que a telenovela ainda não acabou e mais episódios escabrosos virão. Como as das televisões, os melhores capítulos estão reservados para o fim.

Cheira-me que se houver só um pouco que seja de honestidade e decência, algumas cabeças irão rolar e alguns até atrás das grades irão parar. Mas isto se o “chefe” quiser já que é muito “moderno”!

 

Jacinto César


Tasca das amoreiras às 22:51
Link do post | Comentar | Ver comentários (3) | favorito
|

Veja quanto tempo falta para as 5 da tarde

Número de bebedores desde 31-7-2007

Visitor Statistics
camping gear

O Tempo

Últimos copos

Forte da Graça - 18

Forte da Graça - 17

Forte da Graça - 16

Forte da Graça - 15

Forte da Graça - 14

Forte da Graça - 13

Forte da Graça - 12

Forte da Graça - 11

Forte da Graça - 10

Forte da Graça - 9

Adega

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Agosto 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


A procurar na adega

 

Blogs de Elvas

Tags

todas as tags

últ. comentários

JacintoSó agora tive oportunidade de lhe vir dizer...
VERGONHA? MAS ESSAS DUAS ALMAS PERDIDAS RONDÃO E E...
Uma cartita. Uma cartinha. Uma carta.Assim anda en...
Os piores lambe-botas são os partidos de Esquerda ...
O mundo está para os corruptos e caloteiros. Uma a...
O mundo é dos caloteiros . Uma autentica vergonha.
"Não se pode aceitar que um professor dê 20 erros ...
penso k será pior dizer k ñ tem pais!ou k ñ sabe k...
Preconceituoso

mais comentados

101 comentários
89 comentários
86 comentários

subscrever feeds

SAPO Blogs